Comentando o Álbum – Map Of The Soul: Persona – BTS [2019]

O novo álbum do BTS nasceu e consigo trouxe algumas coisas comentáveis. Além disso, meu biaísmo pelo Jungkook me faz ter vontade de garimpar coisas do grupo + estou inspirado para comentar cada uma das faixas disso aqui. Então let’s go.

Dessa vez o trailer ficou por conta do líder do grupo, tendo como resultado a Intro: Persona. Eu não sou o maior fã de rap, então para mim ela é completamente dispensável. Mesmo assim, posso dizer que isso está bem diferente (?) do que os outros rappers costumam sair desovando aos montes na Coreia. E o clipe já dá uma noção do quão a Big Hit está disposta a gastar nesse comeback, com vários efeitos e cenários. RM termina seu dia com algo satisfatório.

Eu já comentei Boy With Luv feat. Halsey no blog e você pode conferir clicando aqui. Mas só dando um pequeno resumo, eu amei. Primeira coisa deles que realmente me agradou desde ‘Blood, Sweat & Tears‘.

Mikrokosmos continua mantendo a qualidade do álbum bem alta. Isso parece muito trilha sonora de algum filme da Disney e se eu puder especificar mais, diria que ficaria perfeito em um Rei Leão da vida. A letra que tem um pouco a ver com Rei Leão é linda. Nela, eles comparam cada pessoa com uma “luz/estrela” e assim todos juntos formam uma noite estrelada (?) combatendo a escuridão.

Make It Right, é o momento “mijo nos ocidentais” de todo santo álbum deles. Não faz muito por mim e tem cara de coisa que qualquer ato flopado dos EUA soltaria por aí. E como o Sowon já disse lá na review dele, essa aqui teve dedo do Ed Sheeran, então é completamente compreensível esse resultado final.

Logo depois, temos Home que traz elementos meio estranhos em uma primeira ouvida. Além deles enfiarem palavras em espanhol (?), ainda tem um gemido de uma army ou seria do Jimin? ao longo da música toda. O resultado final fica bem bom (apesar de estranho), está quase no nível das b-sides esquizofrênicas do Red Velvet ênfase no quase.

Logo em seguida, o grupo decidiu criar uma unit aleatória (porém promissora) para cantar uma baladinha méé. Jamais Vu, cantada por Jin, J-Hope e Jungkook, é legalzinha o suficiente para eu não pular caso caia no aleatório, mas fica longe de ser algo que me dê vontade de ir atrás. Além de ser completamente deslocada na tracklist, visto que o clima criado até agora era de uma coisa mais para cima.

Para encerrar o álbum, é claro que não podia faltar o oppa fodão nosso de cada dia. Dionysus parece ter saído diretamente da gaveta de demos antigas para o álbum, com uma alteração sutil aqui e outra ali. É agradável, mas também não faz muito por mim. Dependendo do meu humor irei fritar loucamente ao som disso, mas enquanto os astros não se alinharem, continuarei ignorando a existência dela.

Map Of The Soul: Persona termina sendo um EP ok, que não ofende, mas também não salva a vida de ninguém. Felizmente fizeram uma ótima escolha quanto ao single e ainda trouxeram duas b-sides que provavelmente ainda brilharão em minhas playlists (Mikrokosmos e Home).

Nota: 6,8

2 comentários em “Comentando o Álbum – Map Of The Soul: Persona – BTS [2019]

    1. Eles estão cada vez mais “ocidentalizados” (menos as que são demos reutilizadas).

      Deve dar a impressão de ser tudo a mesma coisa, porque acho difícil alguém amar pop americano flopado hahahahaha

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s