TOP100: As melhores músicas de 2019 – 54°~33°

Já estamos na terceira parte do TOP100 e eu vou perdendo cada vez mais a inspiração não só para escrever introduções, que servem como uma forma bonitinha de fingir que sou uma pessoa minimamente interessante e criativa, como também para escrever os comentários de cada uma das músicas deste quadro. Veremos o que será de mim nas próximas partes.

54° Bing Bing – Red Velvet

As boleiras conseguiram entregar várias músicas aproveitáveis esse ano. Tiveram um álbum dispensável no meio, mas ele não é foco aqui. Essa ‘Bing Bing’ foi lançada como b-side da primeira parte do festival delas. Eu adorei e achei super injusto ‘Zimzalabim‘ ser a escolhida como single. Mas come on, vamos parar de reclamar das escolhas da SM, pois já não é de hoje que os manda chuvas de lá estão com os parafusos meio soltos.

Leia também: Comentando o Álbum: ‘The ReVe Festival’ Day1 – Red Velvet.

53° Uh-Oh – (G)I-DLE

Outro dos vários rookies que apareceram ou aparecerão nesse TOP, é o (G)I-DLE. As filhas do 4Minute estão fazendo um trabalho muito bom com os singles que poderiam cair facilmente nas mãos do grupo da HyunA, caso ele estivesse vivo até hoje. ‘Uh-Oh’ é um bom exemplo disso. O single carrega toda a força e confiança que o finado grupo conseguia imprimir com muita facilidade (exceto pela aquela integrante aleatória lá).

Enquanto isso, Soyeon e, vez ou outra, Soojin fazem um ótimo trabalho, mas o resto ainda precisar aprender mais alguns truques sobre performances antes que eu possa dizer que elas estão no mesmo nível de suas mamães.

Leia também: Todas as empresas de k-pop precisam passar por um escândalo.

52° Deja Vu – Dreamcatcher

Para a alegria dos filhotes de cruz credo, eu cedi muito para esse rockzão aqui. Antes não gostava muito da música ser triste e ter um refrão pesado nas guitarras. E até hoje acho que se tudo fosse mais coeso, esse poderia ser o single do Dremcatcher que me deixaria de quatro. Porém, agora eu ouço ela com mais amor no coração e acho que, pelo menos os versos são bons o bastante para me fazerem ouvir repetidamente.

Leia também: Dreamcatcher lança algo mais introspectivo e é só isso mesmo.

51° Follow – Monsta X

Antes que Wonho caísse no olho do furacão e fosse chutado pra fora do Monsta X, o grupo ainda lançou mais uma de suas ótimas farofas try-hard, que nunca serão as mesmas sem o menino alérgico a camisas fechadas. Apenas espero que eles tentem lançar outras assim, mesmo sem a magia do gogo-boy que era bom tanto pra cantar, quanto pra agregar no visual do septeto.

Leia também: Pisquei, Monsta X lançou mais dois singles. Pisquei de novo e o Wonho saiu do grupo.

50° Guerilla – Oh My Girl

Queendom foi muito bom para mim. Eu passei a gostar bastante de alguns atos que eu não tinha muita afinidade e um deles é o Oh My Girl. As gatas fizeram valer sua presença no reality e relançaram vários bops incríveis. ‘Guerilla’ é o primeiro deles a dar as caras por aqui. A música é muito boa, dramática e teatral da maneira que casa perfeitamente à discografia do grupo. Seu stage, apesar de ter seus pontos fracos, também é muito bom e as meninas estão com visuais incríveis. Win/win.

Leia também: Comentando o Álbum: Final Comeback – Queendom [2019]

49° Where You At – Loona

Continuando com a saga das b-sides incríveis do Loona temos ‘Where You At’. A balada é muito gostosa e seu refrão agudo e repetido ao extremo como se o disco estivesse riscado é chiclete puro. Duvido alguém ouvir e não ficar com as vozes ecoando em seus ouvidos por algumas horas (ou dias).

Leia também: Playlist Mensal – Best Of 2019 {Fevereiro}

48° Picky Picky – Weki Meki

Aos poucos, Weki Meki vai organizando a casa com mais esmero, conseguindo fazer seu conceito teencrush se tornar popular, ao mesmo tempo em que as meninas da Fantagio são umas das únicas que conseguem lançar coisas boas seguindo ele. ‘Picky Picky’ foi a primeira aposta das garotas para o verão, conseguindo ser muito gostosa de ouvir. Mas não a melhor delas no ano.

Leia também: Eu gostei do comeback do Weki Meki… ?

47° Dalla Dalla – ITZY

Mais um debut e mais uma música que eu aprendi a gostar conforme fui sendo exposto. ‘Dalla Dalla’ foi o single responsável por trazer mais um grupo da JYP à vida. E eu passei a gostar bastante de seu refrão duplo, do seu break e de sua coreografia meio estranha. É legal ver que a empresa parece se esforçar para ter em seu catálogo grupos femininos diversificados, sem ficar aquela coisa maçante de serem as “novas fulanas”.

Leia também: Com ‘Dalla Dalla’, ITZY tem debut mais inofensivo que Cherry Bullet.

46° Me & You – EXID

O último single comentável que o EXID lançou durante sua longa e próspera vida me viciou bastante. Eu lembro que quando os teasers começaram a sair, fiquei extremamente preocupado com a possibilidade de estar prestes a ouvir uma bagunça extrema, cheia de pedaços mal costurados que poderiam ter se tornando músicas individuais muito boas.

Porém, a Banana Culture conseguiu fazer boas transições entre os vários “momentos” da música e deixou esse Leggo aqui bem satisfeito com o adeus. Poderia ser melhor? Claro que sim. Mas também poderia ser uma balada modorrenta e ruim. Então cabe a cada um decidir se o copo está meio cheio ou meio vazio.

Leia também: EXID morre… mas morre atirando.

45° New Rules – TXT

TXT emplacou mais uma música boa, só que dessa vez, totalmente chupada da gaveta de demos do BTS. É claro que o grupo principal da Big Hit jamais lançaria isso em seus atuais tempos (porque agora são garotos ocidentais crescidos), então acho que já podemos preparar para ver mais coisas como isso vindo em forma de b-side para o quinteto.

Leia também: Playlist Mensal – Best Of 2019 {Outubro}

44° Savage – ACE

Para um grupo que eu achava que não duraria 2 anos, ACE está servindo muito bem com sua proposta oppa-fodão. Além disso é muito bom ver que o grupo está vendendo quase 30 mil cópias nos álbuns físicos. Para um grupo nogu que quase foi boicotado pela Coreia, isso é um número altíssimo.

Leia também: ACE fez comeback dias atrás, servindo um melhor oppa-fodão que o EXO.

43° Fever – JYPark

JYP passou um tempo longe da industria musical, no sentido de ser o protagonista da música. O véio preferiu reservar suas forças para produzir e administrar seus acts mais de perto, conseguindo algumas vitórias e várias derrotas no decorrer do tempo. Porém, agora resolveu soltar mais um de seus singles “sou um macho lindo e todas as mulheres caem de joelhos por mim”.

Assim como toda sua discografia, ‘Fever’ é aquele tipo de farofa que tem cara de JYP. Felizmente, ela funciona muito comigo (suas músicas anteriores não têm toda essa força). Acho que o feat da BIBI ajuda bastante.

Leia também: Eu adoraria ter metade da autoestima que o JYP tem.

42° Drip – Hinapia

Eu continuo sendo grato diariamente por esse novo grupo fazer bom uso do legado que o Pristin V deixou. Essa ‘Drip’ é uma das coisas que salvou minha vida, mesmo eu não sabendo que minha vida estava em risco. Espero do fundo do meu coração que essa nova empresa não brinque em serviço e ajude as ex-Pristin a conseguirem sobreviver da música. Sei que elas sofreram pra conseguir 1 milhão de views no canal da 1theK, mas há esperança, pois vivemos em um mundo onde EXID, Momoland e etc conseguiram sobreviver e soltar alguns hits em sua carreira.

Leia também: Pristin V faz comeback com novo nome e algumas pequenas alterações no line-up.

41° Take Off – WayV

Eu acho que essa parte do TOP100 será a mais repleta de reviravoltas dentre todas as outras. Eu lembro que caguei horrores pra ‘Take Off’ quando ela foi lançada, mas aí saiu o dance practice e eu simplesmente não consegui parar de assitir. O resto, vocês já devem imaginar. Fiquei tão viciado por conta da exposição que uma faixa que facilmente teria sido ignorada aqui, agora pegou o 41 lugar. Acontece.

Leia também: Pacotão: WayV, Winner, Ladies Code, GOT7, BVNDIT, Hyolyn, Cherry Bullet, AB6IX e NCT 127.

40° Run For Your Life – Tiffany Young

Caralho. Que hino. Adorei a Tiffany Gaga. E olhem que eu nem gosto da original (acho forçada demais).

Leia também: Tiffany Young segue mostrando que existe vida após a morte.

39° Like It – CLC

CLC continua dando as caras por aqui graças ao seu ano grandioso e dessa vez com essa farofa girlcrush incrível. ‘Like It’ possui várias mudanças no tempo da música, mas tudo é feito de um jeito que cativa o ouvinte. Ainda por cima, tem o plus de ser executada por tal grupo que possui uma dinâmica entre vocais e rap muito boa com seus variados timbres.

Leia também: ‘No’ é o CLC repetindo a fórmula que agrada sua meia duzia de fãs.

38° Blueming – IU

IU veio com um álbum que eu não me lembro mais de como é, mas que rendeu dois bons singles. Um deles é essa ‘Blueming’ que casa muito bem o lado espevitado dela de ‘Tweenty-Three‘ (que eu amo) com a veia mais alternativa de ‘BBIBBI‘ (que eu não sou muito fã). O resultado ficou uma delícia, numa faixa super divertida, mas sem que a irmãzinha da Coreia necessitasse se rebaixar à imagem de adolescente rebelde mais uma vez.

Leia também: IU chega de mansinho no fim do ano para desbancar sua fave.

37° Touchin’ – Kang Daniel

O single do ex-Wanna One, assim como o da IU, é bem recente, mas mesmo assim já coloquei em uma posição bem alta. O Daniel é um cantor bem sem sal que me desperta zero interesse. A sorte dele é essa ‘Touchin’ ter um instrumental maravilhoso e que perdura na cabeça.

Leia também: Cansado de sacudir seu frasquinho de pimenta sozinho, Daniel joga uma indireta pra Jihyo em seu novo single.

36° Magnetic Moon – Tiffany Young

Tiffany pode até não estar sendo muito inovadora (uma vez k-pop, sempre k-pop), porém está fazendo muito bonito com suas apropriações da sonoridade alheia. ‘Magnetic Moon’ é um exemplo de faixa maravilhosa. Só fico imaginando no quão grande a cantora poderia ter se tornado na Coreia a essa altura do campeonato, mas já que quer apostar numa carreira no US, boa sorte aí gata.

Leia também: Tiffany Young faria muito sucesso se mirasse no público certo.

35° Side Effects – Stray Kids

Stray Kids é outro grupo que lançou um single maravilhoso, mas que, para pagar sua dívida com o universo por conta desse favorzinho, também tiveram que sacrificar um de seus integrantes. Just like Monsta X.

‘Side Effects’ é muito boa e funciona em tudo. Seu instrumental mais contido nos versos, a batida frenética somada aos gritos no refrão e até os arrotos do Felix. Tudo é acima da média e combinaram muito bem no pacote final.

Leia também: Side Effects é tão boa que vale o post atrasado.

34° Flower Shower – HyunA

Para os que estavam com saudade, HyunA resolveu sair da casinha e nos agraciar com mais um single. Olhando para o pacote como um todo, ele não parece ter muita identidade, porém se formos olhar várias partes, como a que ela ainda rapidinho e recita uns versinhos como se fossem um feitiço, tudo tem bastante personalidade.

Acho que ‘Flower Shower’ ainda ganha mais pontinhos por ver no rosto dela que a cantora está feliz em sua nova empresa (ou ela atua muito bem). Fico ansioso pelo que pode vir no futuro. Enquanto isso, estarei bem alimentado com isso aqui.

Leia também: HyunA faz seu primeiro comeback fora da Cube e sua alegria é contagiante!

33° Egotistic – AOA

Mamamoo lançou um latin-pop gostosinho e extremamente genérico no ano passado e o AOA resolveu que podia fazer melhor, dando identidade à bagaça. A transformação do single resultou nessa maravilha aí de cima. Para ficar ainda mais perfeito, só faltou a FNC pagar um cheque mais alto e dar um clipe pra música. Já até consigo imaginar as cinco matando homens e depois piranhando em alguma balada gay.

Leia também: And the pretty girls não quiseram se aposentar.


Discordam de alguma coisa no meu TOP? Pensou que nunca veria alguma dessas aí aparecendo entre as 100 melhores do ano? Me dê sua opinião aí nos comentários! Logo logo solto o restante. Confira as outras partes do TOP100 a seguir:

{100°~78°}{77°~55°}{54°~33°}{32°~11°}{10°~01°}

8 comentários em “TOP100: As melhores músicas de 2019 – 54°~33°

  1. Não sei se a FNC poderia lançar um MV pro cover de Egotistic sem primeiro ter que pagar pra agência do Mamamoo. Mas que o AOA fez um cover muito superior à versão original, fez.

    Essa parte do seu Top 100 trouxe várias das minhas músicas favoritas do ano, de Where you at a Me & You e Deja Vu. Fica difícil imaginar o que poderia ter sido ainda melhor que elas.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s