TOP100: As melhores músicas de 2019 – 32°~11°

A penúltima parte do TOP100 é sempre aquele lugar recheado de hinos imbatíveis, onde em algum momento eu cogitei que poderiam marcar presença entre as 10 melhores. Sou obrigado a dizer que várias coisas aqui são muito redondinhas e me cortou o coração vê-las morrendo aqui. Mas chega de mimimi, como se diria minha atual vlogueira favoritawhat is done, is done“. Então, let’s start.

32° You Calling My Name – GOT7

GOT7 é um caso engraçado de grupo que vira e mexe dá um pisão falso aqui e ali (nunca esquecer eles derrapando quatro vezes seguidas em 2016/2017), porém quando resolvem organizar a casa, lançam uns bops muito bons. ‘You Calling My Name’ é o melhor troço deles desde ‘If You Do’. Tomara que antes do disband/alistamento, eles soltem mais alguma coisa boa. Ou não. As units que o grupo tem, são bem boas também e conseguem deixar o nome deles bem na fita.

Leia também: Sem estabilidade, GOT7 segue emplacando uma ou outra música boa.

31° Icy – ITZY

O comeback das novatas da JYP foi bem divertido. Sendo uma versão um pouco menos bagunçada e mais polida do debut. Para quem gostou só “mais ou menos” de ‘Dalla Dalla‘, pode facilmente engolir isso como um bom single. O quinteto me agrada bastante, tanto pela sonoridade mais tecnológica/urbana quanto pelo line-up. Talvez serão grandes concorrentes à grupo favorito quando o Red Velvet bater as botas, mas ainda é cedo para afirmar isso.

Leia também: ITZY volta com uma boa contribuição para o verão que anda meio morno.

30° Lion – (G)I-DLE

Em sua participação no Queendom, (G)I-DLE serviu melhores músicas que em toda sua carreira (é claro que ‘Hann‘ supera qualquer treco, mas me deixem jogar esse shade gratuito nos outros singles delas). Essa ‘Lion’ é um bom exemplo disso. A música é dramática no ponto certo, mesmo em alguns momentos causando vergonha alheia por elas estarem se autodeclarando rainhas sendo que nem ficaram entre os dois grupos mais votados do reality. Mas fora do programa, é incrível. Só prova o tamanho do potencial do (G)I-DLE para liderar essa nova geração.

Leia também: O Queendom chegou ao fim e nos trouxe as performances que restavam.

29° Blue Flame – Astro

Esses viadinhos me matam do tanto que amo seus singles. Acho tudo muito bom, desde os aegyos do debut até esse sexy-concept que eles adotaram mais recentemente. Astro é um grupo que soube como desenvolver sua sonoridade de uma forma que fica muito gostoso de acompanhá-los. Em ‘Blue Flame’, os garotos tomaram confiança após o “sucesso” do comeback anterior e soltaram a pélvis numa faixa super cativante com um refrão explosivo.

Leia também: Eu nem sei mais como elogiar o Astro.

28° Twit – Hwasa

Um dos maiores hits de uma solista no primeiro semestre foi esse debut solo da Hwasa que estava sendo adiado desde o ano passado. E a espera até que valeu a pena. Assim… não tem nada de muito novo aqui. Muita gente disse que tem a “identidade” da cantora, mas eu achei uma faixa que mesmo o grupo completo poderia ter lançado.

E para ser sincero eu nem tinha ouvido ela tanto assim. Mas aí o YouTube a intercalava com ‘gogobebe‘ quando estava no aleatório, então acabei escutando bastante nesse restinho de ano. Btw, fico feliz da Hwasa ser a escolhida para dar continuidade para a discografia do Mamamoo quando o grupo entrar naquele limbo de um comeback por ano. Ela é a mais carismática dentre as quatro.

Leia também: Eu não sabia que Hwasa conseguiria ser tão… Mamamoo (?) mesmo em seu solo.

27° Feel Special – Twice

É engraçado como as coisas aconteceram nesses últimos anos no k-pop, né? Twice debutou, se tornando um grande ponto de referência para outros grupos que tentaram milkar em cima do conceito das nove gatinhas, mas o tempo passou e as coisas foram assentando aos poucos, com vários grupos sumindo e o próprio Twice amadurecendo.

A decisão do Sr. JYP foi muito acertada. Conseguiu sugar tudo o que podia daquilo que era a força do grupo. E quando as coisas começaram a dar sinais de que a decadência viria, ele reformulou tudo e finalmente deixou suas funcionarias gozarem de um conceito que condiz com suas idades. E que bom que escolheu um caminho tão bom quanto esse, que rendeu a deliciosa ‘Feel Special’.

Leia também: Twice contorna a esquina de vez e decide bater de frente com o IZ*ONE.

26° Lalalay – Sunmi

Sunmi se mostrou muito camaleônica nesses anos. A gata assumiu uma imagem forte e singular (assim como sua personalidade), mas não se prendeu somente ao que “quer ser”, sabendo muito bem adaptar-se ao que está sendo comercializado no k-pop. Mas, ainda assim, ela consegue colocar seu tempero nas suas músicas, deixando tudo em um nível acima da média. E tudo isso cabe perfeitamente como descrição de ‘Lalalay’, que nada mais é do que a versão dela das barulheiras populares que todo santo grupo já lançou.

Leia também: Sunmi segue sendo a diva-indie-pop que todos tanto amam.

25° Boogie Up – WJSN

Meu Sistar vivinho! É bom ver que a Starship não apagou as demos do seu ex-quarteto de gostosas. Legal seria se em todo verão eles colocassem as garotas cósmicas para executá-los. ‘Boogie Up’ é uma farofinha de verão deliciosa, que só peca por conta das meninas do WJSN não se esforçarem para dar mais textura aos vocais. De resto, é um baita bop.

Leia também: Pacotão: 1TEAM, Yoona, Oneus, WJSN, BoA, NCT Dream, TXT, Soyeon, BiBi, U-Know e Ong Seongwu.

24° Hip – Mamamoo

Eu já disse que amo o lado red do Mamamoo, então não tem muito o que acrescentar. O quarteto mandou muito bem nessa ‘Hip’, entregando toda atitude que se espera delas. Já marca presença entre minhas favoritas do grupo (talvez entre as três primeiras).

Leia também: Mamamoo ignorou legal o Queendom e fez seu comeback como se nada tivesse acontecido.

23° Blow Your Mind – (G)I-DLE

O 2019 do grupo teve bastante coisa lançada. Elas souberam alimentar e expandir seu fandom de maneira bem competente. E uma das melhores coisas que saíram, foi essa b-side aqui. Eu gostei muito como elas conseguiram misturar o indie com sintetizadores e um teclado ou um sintetizador emulando teclado. É uma mistura bem interessante e ainda teve esse clipe que deve ser o único momento da carreira delas onde todas as seis conseguiram ser carismáticas.

Leia também: (G)I-DLE tem uma de suas melhores músicas em forma de lead single.

22° Under Cover – ACE

Outra surpresa que esse capítulo nos trouxe. Desde o começo do ano, eu jurava que isso daqui ranquearia entre as 10 melhores e se bobeasse, brigaria pelo posto de SOTY. Mas não é que caiu pra cá? Infelizmente, não consigo espremer eles mais lá pra cima, se não dormirei com a consciência pesada. Fica aqui meus pêsames a essa faixa que eu curti pra caralho durante o ano todo e que ainda não envelheceu totalmente comigo (só ouço com menor frequência).

Leia também: ACE voltou e eu estou fingindo que nunca critiquei oppa-fodão-concept.

21° Tiki Taka – Weki Meki

Lembram da “textura” que eu disse faltar no single do WJSN? Pois aqui no do Weki Meki tem de sobra! As gatinhas da Fantagio nasceram como uma piada e de todos os grupos saturados de integrantes da época, era o que todos acreditavam que daria disband primeiro.

Mas a Fantagio não desistiu. Seguiu firme e forme com o conceito super criticado do grupo e está até hoje entregando várias coisas boas. ‘Tiki Taka’ é simplesmente perfeita. No instrumental, nos vocais e até na coreografia cheia de movimentos não tão difíceis de repetir caso você tenha o mínimo de habilidade em dança. Um pacote completinho.

Leia também: Weki Meki se tornam as novas Panteras em seu single de verão.

20° Twilight – Oh My Girl

‘Twilight’ tem seus defeitos, como as transições bruscas na música, mas eu simplesmente amei. Sua aura ligeiramente fofa e ao mesmo tempo satânica é o tipo de coisa que me conquista com muita facilidade. Agora acrescentem o hype que o Queendom criou em minha alma. Era óbvio que ela ranquearia bem alto. Nunca esquecer a bridge perfeita dessa bagaça + Seunghee destruindo o palco com todo o sangue nos olhos que seu fave nunca terá. Oh My Girl, nunca te critiquei.

Leia também: O último ranking antes da final do Queendom saiu e eu não poderia estar mais satisfeito.

19° Umpah Umpah – Red Velvet

A aposta das boleiras para o verão me agradou bastante. É claro que está longe de ser algo totalmente inventivo como vários de vocês dizem que esperavam, mas o que me cativa é que finalmente elas trouxeram vários elementos que eu amo em um single, como o instrumental voltado para o retrô que vira e mexe aparece em suas b-sides, mas nunca tinha dado as caras numa faixa principal. O refrão alá High School Musical também soma vários pontos ao resultado final e multiplica o replay-factor que tem comigo.

Leia também: Poxa Red Velvet, assim fica difícil…

18° Snapping – Chungha

Mais uma faixa de verão, só que dessa vez fugindo totalmente do habitual para a discografia da Chungha. Até ano passado, ela sempre lançava um house básico como single e era isso. Mas em 2019 a MNH resolveu tratá-la com um pouco mais de carinho e guardou o house pras b-sides, usando essa faixa maravilhosa como title. Um arraso.

Leia também: Chungha segue livre de defeitos.

17° Me – CLC

Ah! O reggaezinho do ano. CLC conseguiu emplacar mais um hino para esse TOP100, esbanjando tudo o que tem de melhor. Ainda por cima, são responsáveis pela melhor ‘Why So Lonely‘ de 2019. Parabéns rainhas.

Leia também: CLC finalmente se agarrou em um único conceito e coisas boas estão surgindo dele.

16° Love Talk – WayV

Assim como as garotas da Cube, os meninos da SM (estou falando do NCT, apenas) tiveram um ótimo e proveitoso ano. Dessa vez, a unit protagonista é a dos chineses com seu soft porn, pronto para melar seus ouvidos. ‘Love Talk’ é uma delícia do começo ao fim, tendo até linhas de rap que casam perfeitamente à melodia, o que é raridade em qualquer música de k-pop que é cantada por machos.

Leia também: Eu nem tive tempo de comentar o single do WayV e eles já me vêm com uma baladinha sexy.

15° Put It Straight – (G)I-DLE

Quando as gatinhas liberaram seu EP lá no comecinho do ano, ouvi ele completo, mas nem lembrava que essa pérola estava no meio. Aí fui ouvir de novo para ter certeza do meu erro e percebi que a versão original é só uma baladinha lugar comum. Fico pensando do porque elas já não usaram essa versão como lançamento. Mas pelo menos tiveram a chance de usá-la no programa, porque esse remix de ‘Put It Straight’ é simplesmente maravilhoso.

Leia também: Uma nova fase do Queendom foi ao ar e temos mais três performances para amar (ou odiar).

14° Fancy – Twice

Hahahahaha o título que eu dei pro meu post solo disso aqui. Nem lembrava que tinha feito isso. Mas agora parando para analisar, ‘Fancy’ é mesmo algo que ficaria coeso na discografia do Weki Meki e vocês a chamariam de horrível, seus hipócritas s2. Mas como foi o Twice que desvaginou a faixa, todos amam. No mais, a tentativa bem sucedida do grupo de amadurecer é realmente muito boa.

E só para esclarecer. Se fosse lançada pelas irmãzinhas do Astro, pegaria a mesma posição aqui no TOP100.

Leia também: Em ‘Fancy’, Twice mira no Girl’s Generation e acerta no Weki Meki.

13° Come See Me – AOA

Ai que ódio do AOA fazendo um comeback tão bom desse no final do ano. Fica muito difícil eu tentar rebaixar músicas dos meus faves para tentar enaltecer as pretty-girls. Mas essa ‘Come See Me’ é tão boa que só Jesus na causa. Se elas tivessem lançado lá no primeiro semestre, talvez eu conseguiria espremer entre as dez melhores, mas não foi o caso. Btw, Seolhyun está se provando uma excelente substituta da ChoA. O refrão na voz rouca da gata, está simplesmente incrível.

Leia também: AOA quer as gays comprando seus álbuns de novo.

12° Chica – Chungha

Dessa vez, para o desespero dos “caçadores de inovação” do k-pop, Chungha veio com uma farofa maravilhosa e extremamente genérica como b-side de seu mais recente EP. Conseguiu superar até mesmo o single maravilhoso que acompanhou o trabalho. ‘Chica’ também é boa por conseguir passar sua mensagem, mesmo para quem não entende bulhufas de outros idiomas. A própria melodia se encarrega de te jogar pra cima.

Leia também: Chungha segue livre de defeitos.

11° All Night – Astro

Ai que orgulho desses meninos. Eles resolveram mostrar pros outros boygroups que dá para amadurecer sem cair completamente no try-hard e/ou sem abandonar seu conceito inicial. Esse single aqui é uma delicia em tantas maneiras, desde música à coreografia, conquistou com muito mérito sua vaga entre minhas onze favoritas.

Leia também: Eu nem sei mais como elogiar o Astro.


Quanta coisa boa, não? Alguma aposta em específico para o meu TOP10? Ao todo são 5 faixas de solistas, 3 de grupos femininos e 2 de grupos de viadinhos-sem-defeitos. Confira as outras partes do TOP100 a seguir:

{100°~78°}{77°~55°}{54°~33°}{32°~11°}{10°~01°}

13 comentários em “TOP100: As melhores músicas de 2019 – 32°~11°

  1. O mais irônico na Seolhyun sendo colocada como substituta da Choa é lembrar que no debut do AOA ela era a única que ficava muda o tempo inteiro. Yuna deve se sentir muito frustrada por continuar barrada da vaga de main vocal…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s