TOP100: As melhores músicas de 2018 – 77°~55°

E cá estamos nós na segunda parte do TOP100. Neste momento nos damos de cara com várias faixas agradáveis, as quais brilharam por um longo momento em minhas playlists, porém com o tempo apenas deixaram seus postos para outras coisas mais recentes. Aqui também, vocês verão músicas que despencaram horrores no meu conceito. Tá que ainda continuo gostando de todas, mas antes, algumas delas eram o puro creme do milho e hoje morreram antes do TOP50.

77° Written In The Stars – Wendy & John Legend

Nos últimos tempos, o k-pop vem colecionando colaborações inusitadas. Uma delas e a que mais deu certo, na minha opinião, foi essa entre John Legend e Wendy do Red Velvet. É só uma balada no violão, mas os vocais deles agregaram MUITO ao resultado final. Se o instrumental tivesse um pouco mais de complexidade, ela poderia brilhar muito mais e quem sabe até ser famosinha. Btw, espero algo daqui pra cima de um futuro debut solo da Wendy. Por favor fofa, não me decepcione.

76° Hi High – Loona

O tão esperado debut do Loona aconteceu e… foi só isso mesmo. A BBC pegou o lado aegyo das três units e misturou num single que quase beira o irritante por conta do refrão. Por outro lado, o instrumental é tão bom e empolgante que eu até perdoo o defeito dela. Mas na hora de rankear, as coitadas vão ter que se contentar com o 76° lugar.

75° Retro Future – Triple H

É engraçado em como tudo que a HyunA põe a mão fica, pelo menos audível. A gata tem mãos de ouro e sabe como usar de todo o seu apelo de “garota imperfeita” para criar os melhores projetos do k-pop. Triple H em seu curto tempo de vida entregou dois singles muito bons, com clipes ainda melhores que qualquer unit já entregou na vida.

Em ‘Retro Future’ os espíritos desordeiros do trio que morreu no primeiro clipe, resolvem usar seu tempo no purgatório para ensinar casais a transar. Tudo isso acompanhado de uma música retrô deliciosa. É uma pena eles terem morrido com a expulsão de HyunA e E’Dawn da Cube.

74° RBB – Red Velvet

Outro single que despencou inúmeras posições foi ‘RBB’. Eu continuo amando a música, já que ela se trata daquela bagunça que as meninas sempre entregaram em forma de b-side em todos os seus álbuns. E ainda o quinteto goza de um de seus melhores visuais da carreira (menos aquela maria chiquinha da Wendy). Mas novamente, na hora de rankear, eu não consegui deixá-la muito alto.

73° Baram X3 – Taeyeon

Taeyeon resolveu virar a chave em sua carreira solo e mudou sua paleta de cores devido ao luto que estava pela morte iminente do seu antigo grupo. Nisso também firmou a mão em coisas mais sóbrias e dignas da diva que ela vem se tornando. Assim, fomos muito bem servidos em seu EP. ‘Baram X3’ é uma delícia sem fim, com ela arriscando em usar sua voz não só para gritar.

72° Frozen – YYXY (Loona)

Mais uma do YYXY pipocando e ainda não se trata do single. Cá entre nós, a BBC fez um trabalho lindo nesse álbum e essa ‘Frozen’ tem um potencial de single delicioso. Tá que estaria ali entre as coisas do Loona 1/3, mas ainda assim é muito boa.

71° Baby Don’t Stop – NCT U

Pois é. Ten também tem uma mão de ouro, onde a maioria dos singles que participa são bons. E olha que nem o Taeyong conseguiu estragar ‘Baby Don’t Stop’. A música é uma delicinha em seus momentos mais farofinha sexy e só perde pontos pelo instrumental tentar fazer referência ao oppa-fodão no break.

70° Love Shot – EXO

Falando em sexy-concept… legal os machos decidindo despirocar de vez ao invés de ficarem só tentando pagar de drogados. EXO meio que cedeu forçadamente aquela imagem de meninos maus para que o NCT pudesse ter uns momentos ao sol na SM e isso foi bem bom. Enquanto tentarem recriar a perfeição da já citada ‘The Eve‘, estarei aqui para dar os biscoitos.

69° One Shot, Two Shot – BoA

Mais uma da véia de guerra para o TOP. E novamente eu me vejo na obrigação de xingar a pessoa que decidiu que era uma boa ideia deixá-la voltar à aposentadoria depois desse ano impecável que foi 2018. ‘One Shot, Two Shot’ é tão ótima, com a BoA adotando essa imagem diva madura que combina perfeitamente com sua persona idol. E a história do MV no metrô é tão boa que não precisavam nem das cenas gravadas na caixa da SM.

68° Super Duper – AOA

Assim como BoA, quem também resolveu ressuscitar foi o AOA. O até então sexteto usou uma imagem diferente do habitual no single, fazendo algumas cacuras irem à fúria, mas escondida no EP entregaram ‘Super Duper’. Uma faixa com a marca registrada do grupo, sendo um belo exemplo de farofa sexy e grudenta. Para ser melhor, só faltou um clipe com elas sexualizando mais alguma profissão.

67° Say You Love Me – Twice

Mais um diamante lapidado do Yes Or Yes, porém dessa vez o grupo homenageado não foi Loona e sim ao Red Velvet. ‘Say You Love Me’ é muito gostosinha com essa pegada descompromissada, mudanças constantes no tempo da música, elementos aleatórios pipocando em alguns momentos e uma interpretação mais falada e “debochada” por parte das “rappers”. Algo que eu sempre amo nos álbuns das boleiras, e que com o Twice não foi diferente.

66° All Night Long – Taeyeon feat. Lucas

Também vindo do comeback da anja caída, tivemos essa parceria inusitada entre ela e o mano do NCT que entrou para ajudar o Ten a segurar as pontas na unit chinesa. A pegada mais adulta-carente segue forte e a participação do rapper foi só pra gata dizer pra SM “tá bom suas cacuras véias, aqui está minha contribuição para fazer esses flopados acontecerem“. Mas o resultado é bem bom graças a menina Taeyeon e seu timbre ótimo.

65° No More Drama – Mamamoo

Em seguida temos ‘No More Drama’, que traz tudo que adoro no Mamamoo, como os vocais pesados ajudando o instrumental a se tornar grande. O resultado é uma power-ballad de respeito, ligeiramente ais animada que o habitual. E assim como ‘Starry Night’ bebe dessa sonoridade, cara de remix europeu de algum DJ aleatório.

64° Latata – (G)I-DLE

O debut do (G)I-DLE é agradável, mas envelheceu bem mal comigo. Basicamente, eu não ouvi ela muito em 2019 e só fui lembrar que era boa quando o grupo fez um remix para o Queendom (ao qual eu acho ainda melhor). A pegada árabe (?) da música e do MV legais e acho que elas poderiam ter se aprofundado mais nisso em outros lançamentos.

63° Egoist – Olivia Hye

Olivia Hye fechou o Loona com chave de ouro. ‘Egoist’ é mais um single incrível sem copiar conceitos das outras integrantes e possui tudo o que um debut precisava. Isso inclui coreografia arrasadora se esfregando no chão e uma historinha interessante por trás. Win/win.

62° Irreversible – BoA

Mais uma diretamente do B9, este que merecia ter sido tratado com mais carinho e como se fosse um álbum ocidental, pois a qualidade do bagulho é muito alta. Acho difícil algum outro artista bater esse LP da BoA. Mas falando de ‘Irreversible’, temos uma faixa emocional com um instrumental sexy que casaria perfeitamente com as melodias safadas do Taemin. Adoro.

61° Stylish – Loona

E o Loona continua servindo. Basicamente o [+ +] serviu para despejar as b-sides que seriam do OEC, mas que acabaram sendo compostas tarde demais para isso. Dito isso, ‘Stylish’ é um ótimo exemplo de música com a cara do trio, mesmo a discografia delas não sendo mais que um EP. Adoro o início bruto que dá um susto em quem está distraído com fones de ouvido e as vozes melosas das meninas durante todos os versos.

60° Easy – Wheein

Wheein era a integrante que eu menos dava bola no Mamamoo. E isso foi por pura falta de chance da gata se destacar. Eu digo isso pois temos: Hwasa a gostosa, Solar a cantora e Moonbyul a sapatão. Então a Wheein era meio que a “comum” do quarteto para mim, até lançar essa música gostosíssima e eu perceber que ela não só tem o timbre mais bonito do k-pop dentre os quatro, como também é a integrante mais engraçada. Hoje em dia ela virou minha bias.

59° Curve – Sunmi

Sunmi sabe como me cativar. Essa ‘Curve’ que flerta com o passado sexy da gata é muito boa e prende qualquer um em seus versos. Ela tinha tudo para ser só uma balada morna no violão ou no piano, mas os produtores resolveram dar mais camadas para o instrumental, resultando nessa delicinha aí de cima.

58° I Love You – EXID

Essa do EXID causou um certo estranhamento na minha bolha social. Alguns gostaram, uns odiaram e outros se irritaram com os “i love you like lalalalaala” que dão as caras toda hora. Eu passei por todos os três estados de espírito, até chegar no ponto de que ela se firma entre minhas 60 favoritas do ano. Sempre gostei muito do quinteto e já estou com saudades desse grupo que não deu disband, mas que também não está disposto a fazer comeback.

57° Crush – Weki Meki

E quem diria também que lá em 2018 o Weki Meki seguiria aprimorando seu teencrush a ponto de causar inveja até mesmo nos grandões da Big3. Hoje este estilo está bem difundido entre todos os grupos e substituiu o aegyo-chave-de-cadeia, mas só as meninas da Fantagio podem dizer com tranquilidade que pavimentaram o caminho. E ainda são as que lançam as melhores coisas (desculpa aí ITZY, mas aqui eu trabalho com a verdade).

56° Good Evening – SHINee

Para encerrar essa parte do TOP, um dos singles do SHINee que marcaram uma era tão bonita de despedida dos garotos por seu falecido colega de grupo. ‘Good Evening’ causa um estramento imediato em quem dá o play por ter um instrumental tão animado e uma melodia tão soturna. Existem outros exemplos, mas acho que o agora quarteto, lançou uma que se tornou referência nisso. E eu… não sei se choro ou se danço quando a música começa a tocar.

55° BBoom BBoom – Momoland

Quem diria que Momoland teria seu grande momento de vitória apostando em um joke act. Esse conceito já deu certo com vários outros grupos/units, trazendo-lhes muita visibilidade do coreano médio. Porém, infelizmente nenhum conseguiu se manter no topo por muito tempo.

Mas voltando para ‘BBoom BBoom’, adoro em como o Shinsadong Tiger pegou todos os elementos grudentos das músicas do EXID e formou isso aqui.


O que acharam até agora? Discordam ou ficaram chocados com algo aparecendo entre minhas 100 favoritas? Nos próximos dias solto as partes seguintes. Fiquem atentos!

{100°~78°}{77°~55°}{54°~33°}{32°~11°}{10°~01°}

12 comentários em “TOP100: As melhores músicas de 2018 – 77°~55°

  1. “Taeyeon resolveu virar a chave em sua carreira solo e mudou sua paleta de cores devido ao luto que estava pela morte iminente do seu antigo grupo.”

    Deus que me perdoe por rir disso.
    Dentro da trilogia de aniversário do shinee good evening é a minha menos favorita. I want you foi um dos melhores comebacks de bg de 2018… triste que depois disso o grupo entrou em hiatus.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Eu lembro que quando ouvi I Love You do EXID pela primeira vez, detestei e escrevi isso no antigo blog do Lunei. Uns dez minutos depois, escutei a música pela segunda vez e minha opinião mudou completamente – e eu também escrevi isso nos comentários do blog antigo do Lunei. Acho que nunca mudei tão rápido de opinião sobre uma música, exatamente porque na primeira ouvida estranhei os “lalalalala” e na segunda vez já estava preparado pra eles.

    Sobre frozen (minúscula, como os títulos de todas as músicas do yyxy), discordo que poderia ser uma música do 1/3. Em termos melódicos, talvez (embora as músicas do 1/3 fossem meio retrôs, e frozen soa relativamente atual), mas a letra é basicamente sobre FAZER SEXO PELA PRIMEIRA VEZ… não combinaria com a aura inocente da primeira unit.

    Curtir

  3. ninguem tem coragem de dizer, mas eu tenho

    love shot >>>>> tempo

    das titles do gidle, ratatata é a que eu menos gosto. talvez seja o árabe concept da soyeon apropriações culturais, pães & bolos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s