As apresentações finais do Good Girl e a evolução das artistas no programa.

O programa de colaborações da Mnet chegou ao fim. Ao longo dos episódios acompanhamos diferentes coisas interessantes acontecendo. Sleeq quebrou vários preconceitos das participantes e se provou mais flexível que todas elas. Yeeun mostrou que mesmo sendo uma garotinha insegura, consegue ter culhão de solista. Hyoyeon e Cheetah quebraram a cara ao serem antipáticas e depois enfiaram o rabinho no meio das pernas, pedindo desculpa a todas as garotas que elas esnobaram. Entre outras coisas.

Todas passaram por um tipo de evolução e foi muito interessante de assistir 10 mulheres de mundos diferentes se unindo e fortalecendo seus vínculos. O programa foi marcado por parcerias improváveis, que deram muito certo nos palcos. E essa última etapa não foi diferente, com os seguintes lançamentos dando as caras.

Queen Wa$abii & Sleeq VS Jamie & Cheetah

A primeira batalha que irei comentar é entre a dupla mais improvável, versus, a dupla com a maior química do reality. Existiam muitas expectativas, até das outras competidoras, para ver como seriam os stages dessas mulheres maravilhosas. E a seguir vocês conferem o que foi entregue.

Queen Wa$abii é a rapper gostosona que gosta de rebolar a raba indecentemente, usando seu corpo como principal “arma”. Enquanto Sleeq é extremamente reservada, luta pelo feminismo e é contra a objetificação do corpo feminino. Já dá pra sentir o cheiro de explosão desse encontro, certo? Errado.

Elas são sim, muito diferentes uma da outra, mas ao mesmo tempo mostram que todo o preconceito que sofrem (pelos mesmos motivos descritos acima), fazem delas as participantes mais tolerantes do show. Ambas têm mente aberta e decidiram se jogar no palco para se divertir. Entregaram uma farofinha divertida e empolgante de ouvir, ao mesmo tempo em que respeita o limite delas e usa de suas melhores armas para animar quem está assistindo.

Além disso, a letra é recheada de shade, com elas respondendo várias das críticas que a sociedade faz a ambas. E a reação de choque da platéia no momento do rap da Sleeq não é exagerada, a rapper colocou vários pingos nos “is” e mandou quem não gosta dela ir catar coquinho.

Já Cheetah e Jamie são duas grandes gostosas e super aclamadas. A primeira é uma rapper de respeito e ninguém tem coragem suficiente para enfrentar ela, a menos que seja obrigado. A segunda é uma cantora excepcional, com um timbre muito melódico e técnicas vocais excelentes.

Elas aproveitaram seus pontos fortes e a química quase que sexual absurda que possuem, para entregar um sexy-concept dos bons. Elas dominaram o palco e esbanjaram sensualidade nesse encontro de gigantes.

No final, quem venceu a batalha foi Jamie e Cheetah, mas as outras duas ficaram muito felizes por isso, pois a essa altura do campeonato elas querem mais aproveitar o último dia de apresentações, do que competir em si.

Jiwoo VS Yeeun

A segunda batalha é de potenciais solistas. Ambas as gatas vêm de grupos de k-pop e não possuíam nenhuma experiência se apresentando sozinhas. No início, Jiwoo já mostrou que tem talento pra isso e pode acabar sobrevivendo muito bem após o KARD acabar. Já Yeeun, passou por alguns momentos de insegurança, mas aos poucos foi mostrando um ótimo desenvolvimento de sua presença nos palcos.

E a preparação para essa batalha foi levada de uma maneira bem leve, porém com um staff da Cube ligando para a DSP para perguntar qual o conceito que a Jiwoo usaria em seu stage. Deixando a Yeeun mega sem graça por parecer que ela estava tentando conseguir informações para se privilegiar o que foi bem engraçado. Mas no fim tivemos o seguinte.

Jiwoo continuou jogando no mesmo time de sempre, com essa pegada de grande gostosa. Eu adorei, mas ao mesmo tempo, não foi a mais inventiva da noite. Depois deste programa, dá pra ver que ela tem muito potencial de ser a nova solista sapeca do k-pop, talvez até substituindo a Sunmi da época da JYP.

Confesso que preferiria ver a Somin fazendo isso, pois acho ela maravilhosa e é minha bias do quarteto. Mas se for a Jiwoo, eu também vou ser bem alimentado.

Já a Yeeun provou que, uma vez CLC, sempre CLC. A gata trocou de conceito pela terceira vez no show, mas isso foi bem positivo. Nesse tipo de competição é legal os artistas mostrarem vários lados de si, pois o público gosta muito e sente mais vontade de acompanhar eles depois que o programa acaba.

Porém, de todos os que ela já mostrou, esse foi o mais fraco. Deixa aquela sensação gostosa no coração, mas não passa disso. Pelo menos sabemos que ela tem culhão até para cantar uma balada em um possível debut solo (o que serviria para encher tracklist num álbum).

No fim, quem saiu vitoriosa desse enfrentamento foi Jiwoo, que pôde usar o prêmio do programa pela primeira vez.

Ailee & Yunhwai VS Hyoyeon & Youngji

Por último tivemos duas duplas bem improváveis e que foram escolhidas pelas meninas por pura vontade de dividir o palco. É claro que elas colocaram algumas estratégias na mesa, porém novamente, decidiram se divertir e entregar boas apresentações pros espectadores.

Ailee e Yunhwai foram para um lado mais descompromissado, como uma trilha sonora de uma noite de verão. Em episódios anteriores já vimos que a gata do cabelo roxo tem o dom de fazer esse conceito e ver a Ailee se juntando a ela foi bem bom. Tivemos dois timbres completamente diferentes e complementares. Além disso elas dominaram o palco e serviram muito fanservice para a plateia.

A Mnet deve ter ficado puta, pois, por causa dessa interação com a plateia, a emissora teve que filmar e exibir que eles estão seguindo todas as regras de quarentena da Coreia.

E também tivemos a DJ Hyo dividindo palco com mais uma gata que não sabe dançar, para o desespero dos sones que só tiveram o desempenho mediano da gata uma vez para assistir eu sei que ela já foi uma dançarina maravilhosa, mas está na cara que a idade chegou de um jeito bem… difícil. Felizmente, elas souberam muito se encaixar e apostaram num lado mais descompromissado e farofento, entregando uma ótima música.

Os versos são bem divertidos, o rap se encaixa perfeitamente e o refrão é bem grudento, num bom sentido. A coreografia mais simples também foi um ponto positivo, pois assim, fica bem mais acessível para quem não tem tanto talento assim.

Quem venceu a batalha foi a segunda dupla, para o desespero da Mnet. Que teve que mostrar os cuidados com a quarentena, pra duplinha lá nem conseguir ganhar.


No fim das contas, Good Girl se mostrou excelente em execução. O único problema dele foi a premissa equivocada que dizia reunir “10 artistas do R&B e do Hip Hop para uma competição”, sendo que a maioria delas nem se encaixa nessas categorias. E parece que até o produtor/apresentador do show não gostava disso, pois ele engasgava sempre que precisava falar a premissa.

Mas no geral, isso é só um detalhe e um problema de divulgação, pois todo o resto foi muito bom. Novamente, a emissora conseguiu juntar um grupo de mulheres, para oferecerem performances ótimas e que não veremos em nenhum outro lugar. E tomara que a próxima temporada não seja um “Good Boy”, pois os próprios Queendom e Road To Kingdom provaram para todos, que macho não serve para variedades. Enquanto as mulheres sempre entregam coisas boas, raramente errando.

Publicidade

2 comentários em “As apresentações finais do Good Girl e a evolução das artistas no programa.

  1. Aah, então Hyoyeon e Cheetah foram as “vilãs” da edição? Jurava que Ailee e Jimin (não consigo chamar ela de Jamie) ficariam com esses papéis e que Hyoyeon seria a planta do programa, não falando absolutamente nada de relevante para não queimar o filme da SM.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s