Asian Mixtape deve estar bem confortável em seu caixão, pois é 2022 e ele segue coberto de razão.

No início da minha carreira de blogueiro, eu li um post que me marcou bastante na época e mudou totalmente a maneira como eu enxergava o line-up dos grupos, assim como esclareceu o motivo de alguns blogueiros criticarem lançamentos bons com a justificativa de “a mas isso aqui poderia ser lançado por qualquer um e o fulano deveria ter feito melhor“. Tenho 99% de certeza que tal post era do Asian Mixtape e abordava sobre como o AOA faria para continuar lançando músicas memoráveis, sem a presença da ChoA.

Isso porque a gata trazia textura para o grupo e enquanto as outras meninas possuíam vocais mais agudos e parecidos entre si, a ChoA trazia toda uma nova camada com sua voz rouca. Isso permitia que as músicas do grupo não ficassem entediantes, repetitivas ou até mesmo enjoativas.

Com ela sendo uma carta fora do baralho, surgiu-se a reflexão do blogueiro de como grupos de k-pop são configurados quando o assunto é vocais. Nisso, ele dividiu em duas categorias:

A) grupos criados com artistas de timbres opostos e complementares, que executam músicas com mais textura e maior dinâmica entre os cantores (geralmente a crítica coloca uma expectativa maior em seus lançamentos).

B) grupos criados com vocalistas que possuem timbres parecidos e geralmente vão ter mais êxito quando o instrumental ficar responsável pela textura (todo mundo espera farofa ou aegyo vindo deles).

Mixtape, Asian

Não lembro os exemplos que ele usou na época, mas se olharmos para o k-pop atual… Red Velvet, Stayc, Everglow e (G)I-DLE se encaixam perfeitamente na categoria A. Enquanto Nature, NMIXX e Rocket Punch são perfeitos exemplos do tipo B.

Ainda temos ITZY, que é um grupo com vocais super distintos entre si, mas que a JYP faz as meninas usarem técnicas pra ficarem sem textura vocal, agudas e super altas… elas seriam um grupo A, porém foram obrigadas pela empresa a serem tipo B. E ainda na JYP, temos o Twice que foi tipo B durante boa parte de sua carreira e agora brinca um pouco mais com os timbres, chegando a ser do tipo A em vários lançamentos.

Só a nível de curiosidade e para não deixar o assunto lá de cima sem conclusão, o AOA era um grupo A com a presença de ChoA e se tornou um grupo B após sua saída. E em um primeiro momento, elas fizeram a coisa certa ao abandonar as demos do Brave Sound e apostar em algo que exige menos vocais distintos.

Para depois de algum tempo, elas se ajustarem, aprenderem novas técnicas vocais e metade do line-up começar a cantar de uma maneira que condiz melhor com o tipo de música que elas gostavam de lançar (não atoa a empresa viu na Seolhyun a chance de criar textura pela leve rouquidão na voz dela). Sendo assim, voltaram a ser do tipo A.

E qual o motivo de eu reviver esse assunto hoje, do nada? Bem… Rocket Punch fez comeback com mais um retrô agudo e com instrumental pobre em texturas e… mais uma vez não ficou bom, mesmo se tratando de uma música muito legal.

‘Chiquita’ é uma música muito legal e divertida. Bebe da fonte retrô que explodiu em 2020 e parece estar forte até hoje no k-pop (seja em titles ou em b-sides). Ela tem tudo o que eu adoro nesses números, mas… o Rocket Punch é um grupo B com vocais agudos. O instrumental não tem muita textura e também é bem agudo.

Então a mistura infelizmente não me agrada muito. Eu fico um pouco incomodado com tanta coisa alta, igual aconteceu com ‘Ring Ring‘. E eu sei que isso é k-pop e que o próprio estilo em si é bem agudo, mas aqui é um nível que não consigo ouvir e dizer “uou vou dar play de novo“. Falta uma Aisha, Yuqi ou JJ pra mandar uns arrotos nos versos. Ou então uma Minnie ou Wendy pra criar uma atmosfera mais sóbria na bridge.

E também é bem curioso pensar que se alguns grupos tipo A pegassem essa demo, o trabalho seria muito próximo do que é ‘La Di Da‘. Ao mesmo tempo em que o Rocket Punch poderia pegar uma ‘Pirate‘, que o trabalho também ficaria ótimo (mesmo que não tão bom quanto a versão do Everglow). Ou seja, a questão é só a empresa saber selecionar a demo correta para o tipo de grupo que ela mesma criou.

Isso também me lembra a porção de vezes que grupos do tipo A pegaram demos tipo B e foram criticados por lançarem coisas que “qualquer um faria“. É engraçado porque, realmente, qualquer grupo com timbre agudo faria uma faixa com instrumental grave como ‘Bad Boy‘ ou uma mais genérica e com instrumental mais dinâmico como ‘So Bad‘, mas o que deixa elas tão boas é justamente a faixa já ser ótima sozinha e o grupo A vir incrementar mais camadas em cima delas.

E em uma porção de vezes eu gostaria de abordar esse assunto, mas era uma merda não ter o post original do AM para eu referenciar e todos entenderem do que eu estava falando. Espero que tenha ficado clara a explicação. E quero lembrar também que não existe grupo melhor entre A ou B. Ambos são ótimos, cada qual com seu objetivo de vida. O A só tem a vantagem de poder fazer qualquer demo que quiser, que o resultado não vai ficar ruim (a menos que a demo por si só seja ruim).

Gosta do conteúdo do site? Ajude esse blogayro a pagar a marmita doando qualquer valor no PIX, com a chave: gostomeu18@gmail.com. Se quiser, também pode encomendar posts e patrociná-los! Apenas lembre-se que alguns conteúdos são mais complexos e difíceis de serem escritos que outros, então faça uma doação consciente ♥

10 comentários em “Asian Mixtape deve estar bem confortável em seu caixão, pois é 2022 e ele segue coberto de razão.

  1. ótimo post 👏👏👏
    mas fiquei em dúvida. o que seria essa textura nas músicas?
    poderia me explicar melhor, tipo, dando um breve resumo do que seria isso kkkkk 🐴.
    eu fico perdidinho quando passa pra esse lado técnico, tanto que eu nao sei reconhecer nenhum instrumento 😐.

    se quiser dar exemplo de textura com com instrumentais, eu ficaria muito grato ❤️
    adoro seu blog 🤩

    Curtido por 1 pessoa

    1. Obrigadooo! Na verdade nem é um termo técnico porque eu não manjo muito disso também hahaha

      Mas quando digo textura é no sentido da música ter momentos agudos, momentos graves e um instrumental mais complexo também.

      Por exemplo, acho Psycho uma música LOTADA de textura, tanto no instrumental quanto nos vocais. Tem muita coisa acontecendo, as meninas usam várias técnicas e etc.

      Agora, Peaches do Kai e já é sem textura nenhuma e super linear, tanto nos vocais quanto nos instrumentais.

      Outras que eu acho que possuem muita textura no instrumental: Happily Ever After, Smiley, Pirate, INVU e One Black Night (o Reboot todo, na verdade).

      Agora com textura nos vocais: Psycho, Like Walter, INVU, LaDiDa, Hann, Pitty Party, Run2U e a maioria dos solos do Baekhyun.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Que sdds da minha ChoA e suas gostosas, viu. O grupo foi um sabor delicioso enquanto ela estava lá. Depois que ela saiu eu continuei acompanhando todos os lançamentos, mas não era a mesma coisa.
    Come See Me eu não imaginei que floparia tanto, visto que elas estavam sendo bastante comentadas no Queendom, mas… É isso aí. Uma pena o fim que o grupo teve com todo o escândalo da Mina e tudo mais. Até hoje ainda me sinto uma grande gostosa ouvindo os hits do grupo.

    Curtido por 2 pessoas

  3. Analisando, e descobrindo que pelo menos uns 90% dos grupos que eu gosto são do tipo A…deve ser por isso que sempre gosto de praticamente tudo que lançam, e quando não gosto fico impressionada com a dinâmica das vozes

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s